Senac

Minas Gerais






Buscar
Notícias


Aprender com o passado para não cometer os mesmos erros no futuro

 
O premiado livro inspirou o documentário Holocausto Brasileiro

Daniela Arbex: "Descobri que o Brasil desconhecia uma de suas piores tragédias"

Os números são impactantes. Entre 1930 e 1980, 60 mil pessoas morreram no Centro Hospitalar Psiquiátrico de Barbacena, sendo que 70% desses pacientes não tinham nenhum diagnóstico de doença mental. No dia 26 de agosto, o Projeto Cine Biblioteca, da Faculdade Barbacena, exibe Holocausto Brasileiro, documentário cujo nome não exagera ao registrar a triste passagem protagonizada pelo antigo hospital colônia e desconhecida por muitas gerações.

Baseado no livro homônimo, da jornalista Daniela Arbex, o filme resgata, por meio de depoimentos representativos, os 50 anos de internação forçada de uma legião de pacientes, que permaneciam “esquecidos” no local. “Descobri que o Brasil desconhecia uma de suas piores tragédias”, conta Daniela em um dos depoimentos registrados no documentário. Após a sessão, a jornalista ministra uma palestra sobre diretos humanos, saúde mental e a respeito da própria história do hospital. O gerente administrativo do Hospital Regional de Barbacena Helder Rodrigues Pereira e a coordenadora do Museu da Loucura e do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Barbacena Lucimar Pereira irão reforçar o debate, mediado pelo professor do eixo saúde do Senac em Barbacena Antônio Carlos Matos da Silva.

Esta é a terceira edição do Cine Biblioteca. O objetivo da escolha do filme é enriquecer a formação cidadã e integral dos alunos e fortalecer a memória e o patrimônio imaterial de Barbacena. A sessão será no Auditório do Centro de Convenções (Rua Cruz das Almas, s/n, Barbacena). As pré-inscrições devem ser feitas pelo link mediante a doação de 1kg de açúcar, a ser destinado à entidade Casa do Caminho, em Juiz de Fora.

Holocausto Brasileiro foi eleito o melhor livro-reportagem de 2013 pela Associação Paulista de Críticos de Arte e o segundo melhor livro-reportagem no prêmio Jabuti em 2014. Com mais de 150 mil exemplares vendidos no Brasil e em Portugal, a obra se transformou em documentário em 2016, com a produção exclusiva da HBO e com exibição prevista em mais de 20 países.